16
Nov 13
Pilatos perguntou a Jesus Cristo: "O que é a Verdade?". Essa pergunta não deveria ser tomada como uma exigência de resposta, mas talvez como uma suspeita sobre a própria palavra «verdade». Nietzsche perguntou certa vez "será a verdade uma mulher?", pois todos os homens andam atrás dela como andam atrás das mulheres. Tal como Nietzsche, será que já perguntamos aos nossos botões o que vem a ser isso da verdade? Porque queremos a verdade e não a mentira? Qual a origem do conceito de verdade? Será obrigatório existir uma resposta para uma pergunta por demais humana? Se virmos bem, os animais não parecem muito preocupados em descobrir a verdade; eles estão mais preocupados em viverem. Será o nosso cérebro superior com vista a descobrir o funcionamento da natureza ou com vista a viver mais e melhor, isto é, viver mais intensamente? O cérebro humano desenvolveu-se para se entender a si mesmo? A verdade é algo que exista? E caso exista, será algo que deva ser atingido pelo cérebro humano? Não será a verdade um brinquedo humano, uma criação para ocuparmos o nosso tempo?
publicado por Dicas, Informações e Oportunidades às 23:30

... Acontece que em Portugal, mais concretamente a seguir ao 25 Abril surgiram muitas vocações vindas quer da burguesia, quer da alta-burguesia - esta ainda com vínculo a tradições familiares - cuja disparidade cultural relativamente aos outros seminaristas era enorme. Muitos deles eram licenciados para os mais diversos cursos - uns eram cientistas (médicos, engenheiros, biólogos, etc.), outros formados em Clássicas (Direito, Filosofia, Línguas clássicas, etc) outros em Humanísticas (Economia, Arquitectura...) e, como consequência, todos tinham, tal como acontece com os fiéis que os seguem, diferentes perspectivas da vida, que não da Fé. Só que, sendo humanos, o conciliar do tipo de pensamento gerado por cada uma dessas áreas, não pode, de modo algum , ser fácil e exige uma humildade que pode ser encarada como derrota. Infelizmente, tal chega mesmo a acontecer entre pessoas da mesma área ...
Acontece também que os vários movimentos que foram surgindo e ganhando influência - frequentemente, para além da doutrina inicial exposta pelo fundador, por motivos identificados com várias formas de poder - a nível internacional e superando mesmo o poder de Roma. Também isto tem vindo a dar origem a uma ânsia de trepar na carreira - que de facto não é uma carreira qualquer nem deveria ser encarada como tal - e dá lugar a concessões, a pressões para aceder a lugares de confiança relativamente ao movimento, grupo, ou comunidade que os ajudou na subida. Nada disto, não sendo de modo algum novo, tem sido saudável para quem vê a Igreja como algo pro buono. At+e porque à volta de cada um desses sacerdotes se geram frequentemente comunidades autónomas, que chegam a ter na igreja o seu modo de vida, por vezes o modo de vida de famílias inteiras, o que seria perfeitamente aceitável - quem, melhor que um católico para servir numa instituição ou serviço da Igreja? - se não se passasse do mesmo modo e com os mesmos recursos, cunhas, e favorecimentos, que se passa cá fora. Tudo isto tem vindo a dar da Igreja uma imagem de que a Verdade - não a conceptualmente teórica, mas a autêntica - se tem visto arredada. Não é fácil hoje em dia - a menos que se tenha algum interesse ligado a ela ainda que não tenha nada que ver com ela...- sentirmos a Igreja como o tal espaço de gente apenas empenhada em encontrar nela a essência de Cristo e termos a pretensão, ainda que exagerada, de cada dia nos identificarmos mais com ela.
E, por fim, diga-se que a oração - repetitiva como as malhas de um crochet, mas que, como disse alguém, "enquanto se reza não se está a pensar ou a fazer o mal" . quando confrontada com o agir nas nossas vidas, e muito especialmente com os que mais rezam, se banalizou ao ponto de servir acima de tudo para que isso não continue a acontecer.
Terminando este longuissimo e abusivo "discurso", há que pensar que a Verdade não tem nada que ver como que se descobre ou com o que se aprende. A verdade é autónoma, pelo que não pode estar sujeita a ser posta em causa. A verdade é a Verdade! FIM
petitprince a 26 de Julho de 2014 às 01:04

comentários recentes
Segundos dados do hublle, o tamanho do universo é ...
Essa foto é de Madame Curie, pois não?
Texto horrível, tanto com relação à forma quanto a...
Gostei! Sem o concurso do tempo, nenhum fenômeno n...
Boa Noite!Caríssimo Bosco, agradeço seu comentário...
pesquisar
 
Posts mais comentados